terça-feira, 28 de junho de 2022

Consultoria filosófica sobre sonho lúcido

Olá a todos! Voltei com uma nova publicação. Vou dizer um dos motivos pelos quais tive de fazer uma pequena pausa: estava a preparar-me para as provas públicas do meu Doutoramento em Filosofia, que aconteceram ontem com sucesso. Fui aprovada com distinção com uma investigação sobre o surgimento da lucidez no sonho e sua progressão para outros estados de consciência no sono.

Inicialmente, este blogue era para ser exclusivamente sobre bijuteria, mas, como veem, tornou-se um blogue representativo de todo o meu trabalho e com algumas reflexões de âmbito pessoal. Assim, decidi falar um pouco sobre um dos meus trabalhos que já tem decorrido há algum tempo informalmente, mas que agora tem uma boa densidade para continuar de forma estruturada, que é a Consultoria Filosófica sobre Sonho Lúcido.

Imagem de justfantasybijuteria.blogspot.pt

Podem colocar questões sobre a consultoria nos comentários, mas deixo o texto de apresentação semelhante àquele que tenho no site (onde também consta uma breve nota do meu currículo) e no Instagram:

A consultoria filosófica sobre o sonho lúcido considera o sonho e o sono como uma parte importante da vida humana, e por isso a ser compreendida, tendo vários objetivos:

- Viver a lucidez no sonho, aumentar a frequência do sonho lúcido ou, eventualmente, viver lucidamente o sono sem sonhos, progredindo em graus de lucidez no sonho/sono.
- Manter um diário de sonhos como um exercício importante para recordar os sonhos, obter lucidez no sonho e compreender autonomamente o significado dos próprios sonhos (conteúdo e fenómeno), permitir a sua continuidade e integrá-los na vida em vigília.
- Desenvolver a criatividade, "acordando" no fantasioso mundo dos sonhos, que normalmente permanece na "sombra".
- Descobrir algo como um "guia interior" através da expansão que advém da capacidade de observar em cada instante a própria vida no seu todo, na vigília e no sono.
- Integrar de modo simples um estado de meditação na vida do dia-a-dia, desenvolvendo um certo desapego do sentido do "eu".

Esta não é uma abordagem médica ou de psicologia. É uma abordagem educativa e personalizada, de autoconhecimento, que visa desenvolver um sentido de observação e de auto-observação e de compreensão continuada dos próprios fenómenos subjetivos.